Paula Pequeno reestreia pelo Osasco com muita emoção, e vitória na primeira partida do Paulista.

A eterna MVP de Osasco retorna ao time após quase 10 anos, na estreia do Osasco Voleibol Clube no Campeonato Paulista 2018.

O Vôlei Osasco-Audax iniciou a sua caminhada no Campeonato Paulista na última sexta-feira (14), no ginásio José Liberatti em Osasco. As donas da casa enfrentaram o time do Renata Valinhos, e venceram por 3 sets a 0, parciais de 25/20, 25/14 e 26/24. O jogo teve grande significado tanto para a torcida, que encontrou a equipe pela primeira vez na temporada, e também para as jogadoras, que embaladas pelo apoio dos osasquenses iniciaram bem a campanha em busca do heptacampeonato paulista.

Mas para uma das atletas, o jogo teve um gosto mais do que especial: Paula Pequeno, a eterna MVP e ídolo do Osasco voltou a jogar pela equipe após quase 10 anos, e não conteve a emoção e satisfação em atuar novamente pelo time que tanto ama. Em depoimento após o jogo, Paula destacou o bom preparo físico da equipe para a temporada, declarou que o time tende a melhorar jogo após jogo, e claro, se emocionou falando sobre voltar a vestir a camisa do Osasco:

“É uma emoção muito grande pisar no Liberatti e vestir essa camisa de novo. Tudo isso tem uma importância sagrada. Osasco representa muito na minha vida. Não tem como não se emocionar com uma estreia em casa e ainda mais com vitória. Só nós sabemos o que passamos para estarmos aqui, principalmente depois de tantos anos. Passa um filme na cabeça, lembro que quando cheguei aqui era menina, e hoje volto muito mais experiente, como atleta, mãe, mulher, esposa, empresária… Estou muito feliz pela oportunidade de dividir minha experiência com esse time.”

Paula foi ovacionada pela torcida osasquense antes e depois da partida, já que foi um dos grandes destaques da equipe do Osasco, sendo a segunda maior pontuadora da partida, com 16 pontos, e atuando de forma decisiva nos 3 sets, contribuindo para a vitória. O Osasco volta às quadras pelo Campeonato Paulista na próxima quinta-feira, fora de casa, contra o São Caetano, às 20 horas. Os créditos da foto são de Guilherme Zilse.

Ouro Olímpico inédito no vôlei feminino: 10 anos de um dia inesquecível!

Parece que foi ontem, mas já são 10 anos. Uma década de um título histórico para o vôlei brasileiro: medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim em 2008.

Depois da derrota doída para a Rússia na semifinal das Olimpíadas de Atenas, em 2004, quando o Brasil esteve a um ponto de fechar o jogo, e da lesão de Paula Pequeno, que a impediu de realizar o sonho de disputar os Jogos Olímpicos representando seu país, Pequim veio para consagrar uma geração de ouro do vôlei, e representou a volta por cima de Paula, que além de campeã Olímpica, tornou-se a única brasileira MVP da história dos Jogos. PP4 também se destacou entre as dez melhores atletas do torneio, nos fundamentos: bloqueio, ataque e defesa, confirmando que aquele ano seria definitivamente um dos melhores de toda a vitoriosa carreira da ponteira Paula Pequeno.

A campanha da equipe de José Roberto Guimarães foi praticamente perfeita durante os 7 primeiros jogos, que foram essenciais para que o time ganhasse cada vez mais confiança e alcançasse a vaga na tão desejada final Olímpica. Os jogos aconteceram contra Argélia, Rússia (que havia derrotado o Brasil na última final), Sérvia, Cazaquistão, Itália, Japão e as chinesas, donas da casa nas semis. Em todas essas partidas, o time não perdeu sequer um set. A Seleção Brasileira encontrava-se mais confiante e focada do que nunca, depois de ótimas atuações.  Porém, todos sabiam que a final não seria fácil, ainda mais contra adversárias tão qualificadas como eram as Norte-Americanas.

O jogo começou com as brasileiras impondo um bom ritmo, e logo no primeiro set abriram 25/15, fechando a primeira parcial com um ace de Paula. Já no segundo, os Estados Unidos deram o troco e venceram por 18/25. Entretanto, as brasileiras se recuperaram e levaram a terceira parcial por 25/13. 2 sets a 1, faltava apenas mais um para a glória, e foi sofrido. O último set foi disputado ponto a ponto entre as duas equipes, mas o Brasil se impôs na parte final, e fechou o jogo em 25/21, selando uma das conquistas mais importantes da história do vôlei brasileiro, e consagrando uma geração inesquecível do nosso esporte. Parabéns a todas as guerreiras campeãs Olímpicas, há 10 anos!

 

Ela voltou! Paula Pequeno é anunciada como grande reforço do Osasco Voleibol Clube.

A atleta, que atuou pelo Osasco por 10 anos e fez história na equipe, está de volta para a temporada 2018-2019.

A bicampeã olímpica Paula Pequeno está de volta ao Osasco. Após quase 10 anos e com passagem por clubes do Brasil e do mundo, Paula retorna ao time em que conquistou diversos títulos, e marcou sua carreira para sempre.

Pelo Osasco, a ponteira acumula algumas conquistas expressivas, como o tricampeonato da Superliga, octacampeonato do Paulista, Copa Brasil de Vôlei, tricampeonato da Salonpas Cup e Copa São Paulo de Vôlei. Aos 36 anos, a atleta já treina com a equipe na pré-temporada para aprimoramento da forma física, e em entrevista exclusiva à equipe da Agência Look, a bicampeã olímpica e duas vezes melhor jogadora do mundo expressou a sua felicidade por retornar ao Osasco Voleibol Clube, time tão importante para ela, e disse estar preparada para usar de sua experiência para ajudar o clube a encarar os desafios da próxima temporada. Confira:

Agência Look: Qual a sensação de retornar ao clube em que você despontou como uma grande potência do vôlei?

Paula Pequeno: A sensação é de pura felicidade e contentamento, pois é onde cheguei menina, virei mulher, perdi olimpíada, virei mãe e ganhei olimpíada também. Sou cidadã Osasquense, e tenho um carinho muito especial por Osasco, então essa é uma fase que para mim vai ser mais do que especial, jogar em um time o qual tenho uma história longa e bonita.

Agência Look: Que fator foi determinante para o seu retorno ao Osasco?

Paula Pequeno: O fator determinante foi o meu estado físico. Foi realizada uma bateria de exames das articulações, tendões, exames de sangue e cardíacos, e os resultados foram positivos. Isso foi o que eles precisavam para que pudessem me encaixar na equipe como peça importante.

Agência Look: Qual a sua expectativa para a temporada no Osasco? Como você vê o potencial do time frente aos campeonatos que serão disputados, já que você tem treinado com a equipe há algum tempo?

Paula Pequeno: A expectativa é de um ano de muito trabalho. Acredito que o time tenha uma mistura muito positiva de jogadoras experientes e algumas bem jovens, então isso pode proporcionar um futuro muito bom para a gente, e é importante o fato de termos uma equipe completa desde o início, para que possamos realizar uma pré-temporada bem feita, com calma, sem queimar as etapas, pois com as partes físicas e técnicas sendo bem feitas agora, poderemos ver os resultados lá na frente.

Agência Look: Você pensa em terminar a sua carreira no Osasco, equipe em que fez história no início da sua caminhada no voleibol?

Paula Pequeno: A gente nunca deve colocar limite na nossa carreira. Acredito que a competência de todos os departamentos do Osasco possam prolongar a minha carreira, e vou aproveitar ao máximo isso. Terminar no Osasco realmente vai significar encerrar um ciclo lindo de uma carreira longa, árdua, e em um time que amo incondicionalmente, então para mim vai ser um momento muito especial, tão grande quanto todos os sonhos que tracei, e graças a Deus consegui realizar.

Agência Look: Na sua primeira passagem pelo Osasco você ainda era jovem e agora volta para o time com muitos títulos expressivos e experiência na bagagem. O quanto isso pode acrescentar para a equipe nesta temporada?

Paula Pequeno: Independente da bagagem que já adquiri o que importa é daqui pra frente, pretendo estar disponível para ajudar dentro e fora de quadra, usar minha experiência para auxiliar as mais novas e estar bem fisicamente para ajudar o time nos momentos decisivos, e estou totalmente disponível para ajudar de todas as formas.

Agência Look: O que despertou a sua vontade de voltar para Osasco?

Paula Pequeno: O que despertou essa vontade louca de voltar para o Osasco foi quando com o time de Brasília fomos jogar pela Superliga, e ao entrar no ginásio a torcida inteira me ovacionou, gritou meu nome, me aplaudiu, e eu me emocionei muito. Foi naquele momento que aquele desejo cresceu, e hoje graças a Deus está se realizando.

Conheça a Escola de Vôlei Paula Pequeno!

A Escola de Vôlei Paula Pequeno é uma escola de treinamento para alunos que desejam aprender ou aprimorar seus fundamentos no vôlei, um dos esportes mais populares do Brasil e do mundo, capaz de desenvolver o corpo na parte física e mental consideravelmente. Aqui não utilizamos o termo “escolinha” para nossos treinamentos, já que acreditamos que os treinos devem ser levados a sério desde os primeiros contatos com o esporte e prezamos por fornecer aos alunos plenas condições de treino e contato real do ambiente que o esporte é capaz de proporcionar. Nossos principais objetivos são ensinar os principais fundamentos do vôlei, estimulando os atletas no desenvolvimento mental e físico, além de conhecimento a respeito da parte técnica do vôlei, e também gerar uma socialização, visto que a modalidade trata-se de um esporte coletivo.

Nossa escola tem o prazer e a virtude de contar com um dos principais nomes do voleibol mundial, Paula Pequeno! Paula é bi campeã olímpica e eleita duas vezes a melhor jogadora do planeta na modalidade!

A Escola de Vôlei Paula Pequeno está localizada em Joinville e conta com 4 unidades: Colégio Machado de Assis, Positivo, Adventista e também na A.D.E Embraco.

Para mais informações, acesse o site oficial da Escola de Vôlei Paula Pequeno: http://escolanacionaldeesportes.com.br/joinville/

Carreira, seleção e aposentadoria: Paula Pequeno faz balanço dos 35 anos

Duas vezes melhor jogadora do mundo de vôlei, ponteira desembarca em Bauru buscando colocar time do interior paulista no mapa de vencedores do esporte no Brasil

São 20 anos de uma carreira vitoriosa. Bicampeã olímpica pela seleção brasileira de vôlei (2004/2008) e eleita melhor jogadora do mundo duas vezes, Paula Pequeno inicia uma nova trajetória na carreira agora no interior de São Paulo. Na próxima edição da Superliga, a ponteira irá defender o Vôlei Bauru.

Aos 35 anos, o Bauru será o nono clube na carreira da jogadora, que revela a alegria por conseguir prolongar a carreira com os recursos que a medicina esportiva oferece. Em uma autoavaliação, Paula admite que vive como nunca a vida de atleta.

– Após tantos anos de carreira, ainda amo muito a minha profissão. Com o passar do tempo, percebi que preciso cuidar permanentemente do fisico para continuar jogando em alto nível. Preciso usar de todos os recursos que estão disponíveis no mercado como, suplementos, alimentação regrada, massagem, osteopatia e trabalhos físicos específicos. Nunca fui tão atleta como sou hoje e me sinto feliz por estar conseguindo prolongar a minha carreira – revela a jogadora.

Uma das mais vitoriosas jogadores do vôlei brasileiro espera por uma despedida oficial. Sem fazer mais parte das convocações desde os Jogos de Londres, Paula acredita que a renovação natural ocorre muito pela força da Superliga, um dos principais campeonatos de clubes do mundo.

– Voltar a seleção não faz parte dos meus planos desde 2012, mas um jogo de despedida pode ser bem interessante. De preferência com arrecadação de alimentos para doação. Seria maravilhoso. A nova geração está revelando grandes potenciais. Acho que o nosso principal campeonato que é a Superliga está bem equilibrado e a renovação da seleção tende a construir uma nova história positiva.

“Enquanto eu amar o meu trabalho e meu corpo aguentar eu estarei em quadra. O dia de parar vai acontecer naturalmente”, disse Paula Pequeno sobre aposentadoria.

Com um time mesclado com jogadoras experientes e outras apostas, o Vôlei Bauru tem como objetivo se tornar uma potência no Brasil. Para isso, conta com a estrela e a animação de Paula Pequeno. O clube fará sua terceira participação na Superliga nesta temporada.

– O time de Bauru está bem competitivo. Hoje vejo o nosso time como uma dos 4 melhores da Superliga. A minha expectativa para essa temporada é ajudar o time de Bauru chegar mais longe. Acredito na comissão e no potencial das atletas. Tenho me preparado incessantemente nessas férias para chegar bem fisicamente e vislumbrar um primeiro título Paulista para o meu time. Esse é o primeiro objetivo – analisa.

Após terminar a temporada 2016/17 com o título da Copa São Paulo e ter se classificado aos playoffs da Superliga, o Vôlei Bauru se apresentou e iniciou a preparação para a temporada.

Bliss participa da feira de negócios FRANCHISE4U para apresentar seu modelo de negócio e seu método revolucionário.

A Bliss, única não-academia do Brasil, esteve presente na FRANCHISE4U, feira de negócios em que os interessados puderam conhecer um pouco mais sobre cada oportunidade de franquia, por meio do contato direto com os franqueadores a respeito de seus negócios, além da possibilidade de agendamento no site de reuniões em hora marcada com a franquia de interesse, para maior comodidade dos participantes. O evento, aconteceu em Brasília no dia 26 de julho, na Royal Tulip Brasilia Alvorada.

A feira, gratuita para empreendedores, visa facilitar a criação de empresas de forma segura e lucrativa sob o formato de franquia. Dessa forma, o empreendedor interessado em montar um negócio, era atendido com tranquilidade e foco, tendo um ambiente totalmente individualizado para suas dúvidas.

Contando com mais de 1500 beneficiados, 20 anos de experiência, e um percentual de crescimento de 25%, a Bliss apresentou na FRANCHISE4U o seu modelo de franquia, juntamente com o conceito inovador de não academia, o seu método revolucionário ATP, e o conceito da marca, já que ser Bliss vai muito além de ser um franqueado ou um associado.

VÔLEI BAURU SE DESPEDE DA SUPERLIGA 2017/2018 APÓS DERROTA PARA O DENTIL/PRAIA CLUBE

O Vôlei Bauru se despediu, nesta sexta-feira à noite, da Superliga 2017/2018 após ser superado pelo Dentil/Praia Clube por 3 sets a 0 (parciais de 25/20, 25/16 e 25/19), na Arena Praia, em Uberlândia (MG), no segundo duelo das quartas de final da competição. Com o resultado, o time praiano fechou a série melhor de três em 2 a 0, eliminando a equipe bauruense e classificando-se à semifinal para enfrentar o vencedor de Vôlei Nestlé/Osasco x Hinode/Barueri, que voltam a se enfrentar neste sábado, 17, às 17h, em série liderada por 1 a 0 pelas osasquenses.
Já o Vôlei Bauru fez seu último jogo da temporada 2017/2018 e agora iniciará o processo de união com o Sesi para a formação da nova equipe Sesi/Vôlei Bauru visando a disputa da temporada 2018/2019.

O jogo
O Vôlei Bauru começou o jogo com a seguinte formação: Juma, Valquiria, Gabi Cândido, Palacio, Andressa, Tifanny e Shara Venegas.
O primeiro set começa com o Vôlei Bauru à frente abrindo três pontos no 6/3, mas o Praia Clube empata no 7/7, vira para 9/7 após dois erros de ataque de Tifanny e Fernando Bonatto pede tempo. No reinício, o Praia Clube começa a se impor, chega aos 17/12 e Bonatto para o jogo novamente. Mas o time praiano mantém o ritmo, não dá chances de reação às bauruenses e fecha a parcial em 25/20.
O segundo set começa mais equilibrado, mas aos poucos o Praia Clube, com atuação mais consistente e se aproveitando dos muitos erros do Vôlei Bauru, abre oito pontos de vantagem no 21/13. Desta forma, com tranquilidade, o time praiano fecha a parcial em 25/16.
No terceiro set o Praia Clube foi ainda mais soberano e já começa abrindo 4/0. Com o time bauruense errando muito em quadra, o time praiano foi ampliando a vantagem e chegou aos 13/4, quando Bonatto pede tempo. O Vôlei Bauru chegou a estar perdendo por 23/8, mas o time bauruense “acordou” e diminuiu a diferença para sete pontos. Mas a reação não foi suficiente e as praianas fecharam a parcial em 25/19, carimbando a classificação à semifinal.
As maiores pontuadoras do Vôlei Bauru no confronto foram a ponteira Palacio, com 11 pontos, e as centrais Andressa, Angelica e Valquiria, com 4 pontos.
O técnico Fernando Bonatto reconheceu o desempenho superior do time praiano e o nível abaixo de jogo das bauruenses. “No primeiro set tivemos 15 contra-ataques e só rodamos cinco contra uma equipe que tem um poderio ofensivo muito grande. Tentei fazer algumas mudanças no segundo set, mas não conseguimos encontrar o melhor ritmo na partida”, analisou o treinador.Foto: Assessoria Dentil Praia Clube

VÔLEI BAURU VENCE VALINHOS E TERÁ CONFRONTO DIRETO CONTRA SÃO CAETANO

O Vôlei Bauru venceu o Renata/Valinhos por 3 sets a 1 (parciais de 25/21, 23/25, 25/14 e 26/24) neste domingo, no Ginásio Panela de Pressão, em duelo válido pela décima e penúltima rodada do primeiro turno da Superliga 2017/2018. Com o resultado, o time bauruense se mantém na nona colocação com 12 pontos, mesma pontuação do oitavo colocado São Cristóvão Saúde/São Caetano, à frente por ter uma vitória a mais (4 a 3).
E o São Cristóvão Saúde/São Caetano será justamente o próximo adversário do Vôlei Bauru na décima-primeira e última rodada do turno inicial da competição. O jogo será no dia 10, às 13h, em Bauru, e ganha contornos decisivos, pois será um confronto direto entre as duas equipes que brigam não só para se manterem no grupo dos oito melhores classificados e que avançarão às quartas de final após o segundo turno, mas também por uma vaga na Copa Brasil, competição para a qual classificam-se os oito melhores times do primeiro turno da Superliga 2017/2018. Por isso, quem vencer se garante na Copa Brasil.
Após encarar o São Cristóvão Saúde/São Caetano, no encerramento do primeiro turno, o Vôlei Bauru seguirá atuando em casa. Já em duelo válido pela primeira rodada do segundo turno, em 19 de dezembro, às 19h30, o desafio será o Pinheiros. Desta forma, caso não haja mudanças, a equipe bauruense só voltará a fazer uma partida fora de seus domínios diante do Fluminense em 22 de dezembro, às 20h, no Ginásio da Hebraica, no Rio de Janeiro (RJ).
Nesta data será realizada a última rodada deste ano da Superliga 2017/2018, que fará um recesso para a realização das festividades de Natal e Ano Novo e retorna com a terceira rodada do segundo turno em 9 de janeiro de 2018, quando o Vôlei Bauru enfrentará o BRB/Brasília Vôlei, no Ginásio Panela de Pressão, às 19h30.

O jogo
O Vôlei Bauru iniciou o jogo com Juma, Dayse, Palacio, Helô, Andressa Picussa, Valquiria e Shara Venegas. O primeiro set começa equilibrado, mas com o Vôlei Bauru sofrendo com a recepção e permitindo a Valinhos abrir dois de vantagem no 6/4 e depois no 10/8. O Vôlei Bauru empata no 11/11 e passa à frente no 13/12, mas o duelo segue bastante disputado e Fernando Bonatto, técnico do Vôlei Bauru, para o jogo quando Valinhos chega ao 18/17. No reinício Valinhos consegue abrir dois de vantagem no 19/17, mas o time bauruense busca o empate no 19/19 e André Rosendo, técnico de Valinhos, pede tempo. No reinício Palacio coloca o Vôlei Bauru à frente com 22/20 e Valinhos para novamente o duelo. O time bauruense abre 23/20 com Dayse e Valinhos chega ao vigésimo-primeiro ponto. Valquiria faz o Vôlei Bauru chegar ao set point com 24/21 e Andressa fecha a parcial em 25/21.
O segundo set começa novamente com o Vôlei Bauru sofrendo com muitos erros de recepção e ataque, permitindo ao Valinhos abrir quatro pontos de frente no 7/3 e obrigando Fernando Bonatto a pedir tempo. No reinício, já com Ariane no lugar de Helô, o time bauruense reduz para dois pontos no 9/7, empata no 10/10 e vira no 15/14. Mas o Valinhos, com ace no saque, chega aos 17/15 e Bonatto pede tempo. No reinício o Vôlei Bauru empata no 17/17 com ace de Ariane no saque, mas com dois erros de ataque e um de recepção Valinhos abre três pontos no 20/17. Mas com boa sequência de saque de Dayse, complicando a recepção de Valinhos, o time bauruense reduz para um ponto no 20/19 e, com bloqueio de Andressa, empata no 20/20. Valinhos chega ao set point no 24/22 e o Vôlei Bauru faz o vigésimo-terceiro ponto com Ariane, mas Valinhos fecha a parcial em 25/23 com bloqueio sobre Ariane.
Após a derrota na parcial anterior, o Vôlei Bauru começa mais ligado no terceiro set e abre vantagem de cinco pontos 7/2, com o Valinhos parando o jogo. No reinício o time bauruense sustenta a vantagem até 14/9 e Valinhos pede tempo novamente. O Vôlei Bauru segue com atuação consistente, melhorando especialmente o desempenho no bloqueio e saque mais agressivo, e amplia a vantagem para oito pontos no 18/10, ganhando tranquilidade para fechar a parcial em 25/14.
Diferentemente da parcial anterior, o Vôlei Bauru não começa bem o quarto set sofrendo em sua linha de recepção e permitindo ao Valinhos abrir 8/4, com Fernando Bonatto parando o duelo. No reinício, já com Paula Pequeno em quadra, o time bauruense reage e diminui para um ponto no 10/9, mas volta a cometer erros e Valinhos se aproveita para aumentar a vantagem para quatro pontos no 14/10 e Bonatto parando o jogo. Em boa passagem no saque de Helô e com boa atuação de Paula Pequeno, o Vôlei Bauru se recupera, empata no 18/18 e vira no 19/18 com bloqueio de Valquiria. Na reta final da parcial Valinhos abre dois pontos e chega ao set point no 24/22. Mas, com bloqueio e ataque de Andressa Picussa, o Vôlei Bauru busca o empate em 24/24 e fecha a parcial em 26/24 e o jogo em 3 a 1.
As maiores pontuadoras do Vôlei Bauru diante do Renata/Valinhos foram a ponteira Palacio, com 16 pontos, as centrais Valquiria, com 14, e Andressa Picussa, com 13, e as ponteiras Dayse, com 11, e Paula Pequeno, com 8.
Para o técnico Fernando Bonatto, o time não apresentou grande desempenho na partida, mas conseguiu importante resultado. “Não foi um jogo dos mais brilhantes, mas foi uma vitória muito mais do coração. Era algo que nosso grupo estava precisando muito”, destacou o treinador bauruense.Créditos: Neide Carlos/Vôlei Bauru

VÔLEI BAURU VENCE FLUMINENSE E CONQUISTA PRIMEIRA VITÓRIA NA SUPERLIGA

Foto: divulgação

Depois de começar com a “mão esquerda” diante do Pinheiros na estreia fora de casa, o Vôlei Bauru conseguiu a reabilitação na Superliga 2017/2018 nesta sexta-feira à noite. Empurrado pela força de sua torcida no Ginásio Panela de Pressão, o time bauruense bateu o Fluminense por 3 sets a 1 (parciais de 23/25, 29/27, 25/20 e 25/16), em duelo válido pela segunda rodada, e conquistou sua primeira vitória na competição.
O próximo compromisso do Vôlei Bauru na Superliga 2017/2018 será o Brasília, em Brasília, às 18h30, no dia 28 deste mês. Na sequência, o time bauruense vai a Santo André para encarar o Sesi, no dia 2 de novembro, às 19h, e só voltará a jogar em Bauru no dia 7 de novembro, às 21h30, diante do Minas.
O primeiro set, em que o Vôlei Bauru iniciou com Ju Carrijo, Paula Pequeno, Dayse, Palacio, Andressa Picussa, Valquiria e Arlene, começou com o Fluminense à frente e sustentando vantagem de três pontos até aos nove minutos de parcial, quando o time bauruense empatou em 10 a 10. O jogo seguiu equilibrado até o Vôlei Bauru abrir dois pontos, chegar aos 20 a 18 e o Fluminense parar o jogo. No reinício, o Fluminense empata em 20 a 20 e o técnico do Vôlei Bauru, Fernando Bonatto, pede tempo. No retorno, o Flu vira em 21 a 20 com contra-ataque de Thaisinha, mas a equipe bauruense reage novamente e passa à frente em 22 a 21. Só que o Flu não se entrega e em ace de Micheli vira para 23 a 22 e em contra-ataque chega ao set point em 24 a 22, forçando Bonatto a parar o jogo. No reinício Palacio faz 23 para o Vôlei Bauru, mas o Flu fecha em 25 a 23 em 27 minutos.
O segundo set começa equilibrado, mas o Fluminense consegue abrir três de vantagem e chega aos 9 a 6 com oito minutos de parcial. Com dois erros do Flu, o time bauruense encosta em 9 a 8, mas o time carioca começa a se impor e amplia a vantagem para 15 a 9, obrigando Fernando Bonatto a parar o jogo. O Vôlei Bauru esboça reação e reduz a diferença para três pontos, com 19 a 16 para o Fluminense, mas o time carioca amplia em seguida para 21 a 16. Só que o Vôlei Bauru não se entrega e reduz a vantagem para apenas um ponto, chegando aos 21 a 20. Mas o time bauruense volta a errar na reta final e permite ao Fluminense chegar aos 23 a 21. Novamente o Vôlei Bauru busca o empate e chega aos 23 a 23. A partir daí o duelo fica disputadíssimo, com o Vôlei Bauru e o Fluminense virando bolas até o time bauruense aproveitar dois erros do time carioca e fechar a parcial em 29 a 27 em 34 minutos.
No terceiro set o time carioca abre 7 a 3 em cinco minutos e Bonatto para o jogo. No reinício o time bauruense reage, empata em 9 a 9 e vira em seguida para 10 a 9. O duelo segue bastante equilibrado até os 16 a 16, quando o Fluminense consegue dois aces e vai a 18 a 16, com Fernando Bonatto parando o jogo. No reinício, escorado em saque e bloqueio mais eficiente, o Vôlei Bauru reage e vira o jogo chegando a 21 a 19, com o Fluminense parando o jogo. O time bauruense mantém o bom ritmo e fecha a parcial em 25 a 20 em 27 minutos.
A exemplo set anterior, no quarto set o Vôlei Bauru começa melhor e abre 6 a 2 em cinco minutos, mas o Flu reage e diminui para apenas um ponto chegando aos 6 a 5. O time bauruense não se abala e chega aos 9 a 6 com saque dificultando a recepção carioca e bloqueio eficiente, obrigando o Flu a parar o jogo. No reinício o Vôlei Bauru mantém o bom ritmo e amplia a vantagem para oito pontos chegando aos 18 a 10, ganhando tranquilidade para administrar o placar e fechar a parcial em 25 a 16 em 24 minutos e o jogo em 3 a 1.
As maiores pontuadoras do time bauruense no confronto contra o Fluminense foram a central Valquiria, com 13 pontos, a ponteira Paula Pequeno e a oposta Helô, com 11 pontos cada, e a ponteira Dayse e a central Andressa Picussa, ambas com 9, e a ponteira Palacio, com 6. A levantadora Juma foi a ganhadora do Troféu Viva Vôlei.
Para o técnico Fernando Bonatto, o jogo exigiu ajustes constantes da equipe bauruense ao longo dos sets. “As jogadoras que vieram do banco fizeram isso muito bem. Fizemos algumas apostas nas trocas e isso foi muito bom. Sabíamos que precisávamos melhorar, principalmente, o bloqueio e deu certo, pois terminamos a partida com 17 bloqueios, contra seis do Fluminense”, destacou o treinador.

Última rodada da fase de classificações da SUPERLIGA, e a nossa “eterna MVP” vive o seu melhor momento na competição.

Finalmente chegou a última rodada da fase de classificação da Superliga 2016/2017, o TERRACAP/BRB/BRASÍLIA VÔLEI vem de duas vitórias seguidas e espera repetir o feito hoje contra o SÃO CRISTOVÃO SAÚDE/SÃO CAETANO.
Apesar do time da casa não ter mais chances de classificação para a próxima fase, o jogo de hoje promete ser decisivo. É o último ”teste” para as equipes entrarem com força total na próxima fase.
O formato dos jogos das quartas de finais serão (1º x 8º, 2º x 7º, 3º x 6º e 4º x 5º) e vencer o jogo de hoje é fundamental para garantir a melhor colocação para a próxima fase.

Nossa “eterna MVP” está no seu melhor momento na competição, e nós da equipe PP4 Sports fizemos algumas perguntas a ela:

PP4 Sports: É simplesmente impressionante a sua evolução nos últimos três jogos, tendo uma média de 15 pontos por partida. O que podemos esperar de você para o jogo de hoje?
Paula Pequeno: Essa evolução é fruto de muito esforço e mudanças nos trabalhos físicos e táticos mas espero muito mais de mim, espero que eu possa render Ainda mais. O jogo de hoje é tão importante quanto os outros, vamos entrar com tudo.

PP4 Sports: O time de São Caetano não tem mais chances de classificação para essa super liga. O jogo de hoje pode ser considerado mais fácil?
Paula Pequeno: Mesmo elas estando complicadas na classificação, cada jogo é uma forma de se manter e manter o patrocinador para a próxima temporada então não acho que será fácil.

PP4 Sports: Pela sua experiência em grandes competições você se tornou reconhecida mundiamente e é considerada uma das melhores jogadoras de todos os tempos. Isso interfere de forma positiva ou negativa com as outras atletas? E nos jogos importantes?
Paula Pequeno: Sobre minhas conquistas pessoais, claro que não agrada a todo mundo mas no geral sinto a admiração de uma grande maioria. Da mesma maneira a cobrança também se torna maior com relação a mim então, como tudo na vida, tem prós e contras mas sempre terei orgulho e gratidão a Deus por tudo que sou e tudo o que conquistei.

O jogo de hoje (10/03) acontecerá no ginásio LAURO GOMES em São Caetano as 21:30 (horário de Brasília).